O bebé Surdocego


Se houver apoio à família para que seja orientada a manter um contacto com essa criança por meio dos sentidos que não foram lesados, e estimular os resíduos auditivos e principalmente os resíduos visuais, é possível que apresente um desenvolvimento bem próximo ao de uma criança Surda, desde que não haja outros problemas ao nível sensorial.

Ao bebé Surdocego faz muito sentido que a família, por meio de um toque afectivo, continue passando para ele informações do que vai acontecer, como por exemplo a hora de comer. Também o quanto é amado, brincadeiras que o façam sorrir, de forma que perceba sempre a presença do adulto.

Caso a criança apresente dificuldades na comunicação, existem muitos recursos e técnicas específicas para introduzir uma comunicação anterior à Língua Gestual, que ela pode desenvolver bem, e avançar até a comunicação por meio da Língua Gestual. Esse trabalho vai depender de um atendimento especial, e por vezes mais lento mas, por mais difícil que seja, sempre é possível descobrir uma maneira de melhorar a comunicação e aproveitar toda a potencialidade da criança ajudando ao seu desenvolvimento.

Adaptação de um texto de
FENEIS - Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Brasil)

© 2003 - 2019 Associação de Surdos do Porto